quinta-feira, 30 de setembro de 2010

ME LEVA





No barco da vida
sem rumo, sem vela
Mar a dentro, vento em polpa
Perdida no tempo
sem pressa,
sem choro
só remando
Que delícia, que gostoso
Acalento de brisa salgada
cheiro de saudade
gosto de paixão

Alma pirata
jeito pescador
Piloto ou remador
Dias, meses, anos, eras
Vou ficando, acostumando
Só Eu e o Mar
Lembrando histórias
Cantando ao luar
Sempre chegando,
sem nunca chegar

Dias, noites
sol ou chuva
Sou Eu ou sou o Mar
Num só pensamento
na mesma visão
um só coração
Meu tempo se esvaindo
escorrendo entre meus dedos
A vida não vai esperar
O Mar fingi que me leva
e eu finjo acreditar

Maria de Fátima Méres de Morais

Nenhum comentário:

Postar um comentário