quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Primavera






Onde foi que te encontrei
perdida a ermo
sonho sem tempo
broto de chão
te levo ou te deixo
solta, livre
vai voar

Brincando de amar
pensando em ficar
deixei me levar
não pude evitar
seu canto sereia
seu cheiro de mar

Poema ligeiro
olhar sorrateiro
preguiça de dia
aconchego de mãe
noite de pomar

Onde foi que te perdi
nos dedos do vento
nas sombras da vida
na luz do luar


Maria de Fátima Méres de Morais

Nenhum comentário:

Postar um comentário