domingo, 16 de dezembro de 2012

Icosaedro








Do outro lado da Lua
mora um mundo de Verões intermináveis
sua forma Geométrica tem vinte lados
difícil de se explicar
dois Sóis de vários tons de azul:
azul cadete
azul flor de milho
azul real
azul aço claro
azul ardósia
Céu vermelho escuro
variando do vermelho indiano,
vermelho laranja,
vermelho violeta,
vermelho violeta médio,
vermelho violeta pálido,
até o violeta escuro
Mares e Rios
amarelo esverdeado, ocre, dourado
Matas, Florestas e Montanhas com tons de laranjas,
frapê de maracujá e suco de cenoura
cheiro de mil Flores de Jade
misturado com Tacca Chantrieri
com um pouco de Arnoldii Rafflesia
e Amorphophallus titanum
Chuvas que brotam do chão
folículosa viscosa da cor de uva moscatel
às vezes verde neon ou mesmo refresco de limão
Fauna e Flora translúcida
Pedrinhas quadradas
brilham em toda parte
Um enorme Arco-iris, preto e branco
se vislumbra no Céu
Nuvens coloridas
desfilam um apêndice de cores
parecem tocar o chão
Deserto de gramíneas
cor de rosa encarnado ou Magenta
surge e some abruptamente
mudando e desmudando
a paisagem a todo momento
Ouço ruídos constantes
parecendo o som de ventania na campina
mas tudo está estranhamente parado
nada se move
nada se mexe
os caminhos que vão
não são os mesmos que voltam
coberto por uma Névoa salmão claro
úmida e quente
com borbulhas de fumaça
Mundo colonizador
não sou seu prisioneiro
sou um eterno visitante
perdido em seus rompantes


Maria de Fátima Méres Morais












Nenhum comentário:

Postar um comentário