sábado, 8 de abril de 2017

OBSERVAR





Manhãs de Abril
cobertas de pontinhos brilhantes
cobrem o chão das ruas
com folhas coloridas
a todo instante

Tardes de Maio
mudam a cara da cidade
com revoadas de andorinhas
aproximam caminhos
ampliam as sombras nas pracinhas
nos campos, roseiras
nos cafezais

Noites de Junho
são quase um poema
contado pelas estrelas
que dividem o céu
com balões de papel
imensas fogueiras
cheiros doces
ramos de bananeira
brincadeiras
bandeirinhas nos quintais


Por: Maria de Fátima Méres de Morais

Nenhum comentário:

Postar um comentário