sábado, 8 de abril de 2017

ATINOS




Perdida, ferida no meio da vida
Doente
Esquecida
na lama do medo
nas sobras da ilusão
nos restos de paixão

Tocou-me sem jeito
tocou sem querer
tocou só com olhar

amigo ou amante
demonstrou respeito
buscando conquistar

Voltei a ser criança
Pensando ser Rainha
sem suspeitar
aproveitei pra sonhar

Tocar os teus lábios
Sentir teu abraço
Limpar minhas dores
Coberta de amores
Esquecer os horrores
Amar e amar

Foi repentino
e como menina
não questionei
quando acordei
de novo sozinha
cheirando a saudade
sem pão
sem abrigo
na alma uma opção:
viver de perdão.

Por: Maria de Fátima Méres de Morais



Nenhum comentário:

Postar um comentário