sábado, 8 de abril de 2017

GIRAR



Soube de repente
que sou sobrevivente
do mundo dentro do mundo da gente
Ambíguo
inconstante
inverso
submerso
na poeira de submundos distantes

O caos se aquieta
flutua, espera
anula a desordem
reduz a história
num simples pensar

Com ares sutis
palavras gentis
traz tudo à tona
agora gigante
começa a girar

Girar sem parar
em torno de si
em torno do mundo
que segue sem se importar.


Por: Maria de Fátima Méres de Morais

Nenhum comentário:

Postar um comentário