MENINA



Vê a vida tão distante
espremida no portão
Vê no céu tantas estrelas
e nenhuma em suas mãos

Vê o sonho em retalhos
recortes de paixão
Vê, menina pensativa
uma lágrima no olhar
dia a dia vendo o tempo passar

Vem menina
sai da trilha das ruas e avenidas
Vem caminhar nos atalhos
pés descalços nos cascalhos
Vem se arriscar

Vem que o mundo
todo mundo
te espera prá dançar
Vem pular sem paraquedas
corpo solto no ar

Vem ouvir o som das areias
mudando de lugar
Cantar com as baleias
em alto mar

Vem colher o fruto das parreiras
comer mel de  laranjeira
plantar roseiras, abre campo, dente de leão
sorri prá vida
molhada da chuva de verão.

Por: Maria de Fátima Méres de Morais



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AQUELA ÁRVORE

PAI

ILUSÃO